Corpus Inti

Festa!
Festa!

Nada se cria…
Tudo se transforma, se mistura…

(Dia 1 – Evento) Tivemos a sorte de presenciarmos a festa dedicada a Corpus Christi na Haukaypata (Plaza de Armas). Fiquei enlouquecida pela comemoração, pela dança e pela música alegre que em nada lembrava os cantos arrastados e os passos lentos da Igreja Católica que conhecia. Isto é que é festa!

Tudo era colorido, eles pulavam, agitavam lenços e fios de lã e carregavam os Santos Católicos ao redor da praça até chegar a Igreja principal de Cusco.

Depois, o guia nos explicou que antes dos espanhóis chegarem, os Inkas circundavam a praça com suas múmias em homenagem a Inti (Deus Sol, desejando que o Deus Sol – que se afasta no solstício de inverno- melhorasse e voltesse logo). Então, a festa de Corpus Christi ficou com uma certa cara da comemoração Inka – Inti Raymi.

* Todos os Guias nos falaram da tentativa de apagar a cultura local pelos Espanhóis. E que, em parte, os colonizadores conseguiram inserir o Cristianismo, mas …somente em parte.
( Porém, um dos guias nos apresentou o Santo Católico – Santiago Mata Índios – E disse que por mais que parecesse um absurdo, muitos locais cultivavam-no demostrando a massividade da tentativa da sobreposição cultural Espanhola).

Ah! Se um sacerdote Inka mentisse ou errasse a previsão para seu povo, pagaria com a própria vida! (Por que pode-se até perdoar quando se mente apenas para uma pessoa, mas não se mente para uma nação inteira!)

Ps.: Um pouco das ideologias Inkas cairiam muito bem hoje em dia!

One thought on “Corpus Inti

  1. Adorei essa a tua explicação! Adorei a festa…imagino as cores, a música a alegria. E muito interessante a comparação com a atualidade. Beijo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>