Qosqo

Muito Colorido!
Muito Colorido!

Sem pressão, sem pressão…
Cadê o ar ? Força mais meu coração!

Dia 1 – Chegamos a Cusco (ou Qosqo) pela manhã, após longas conexões.
* O primeiro dia foi livre – Em teoria reservado para descanso e aclimatação.
+ Logo ao pisar no Aeroporto da cidade o guia, que esperava por nós, imediatamente começou a explicar que deveríamos descansar por pelo menos umas duas horas (dormir), caminhar pouco, comer comida bem leve (sopa ou peixe) e tomar chá de coca.
Avisou-nos também que os taxis não possuem contagem de rodagem e o preço é combinado com o cliente. (É um pouco difícil descobrir que carro é um taxi…mas vale a pena utilizar se não estiver afim de enfartar! Basta fazer um sinal, esperar algum parar e combinar o preço até o seu destino)

Bem…Bebemos o chá de coca, descansamos as duas horas e…pé na rua! Por que lá do hotel dava para ouvir a festança de Corpus Christi na Plaza de Armas e por que não dá para ficar parado só sentindo o cheirinho.

Saímos, almoçamos, compramos caramelos e folhas de coca, entramos na Igreja Compañia de Jesús, tiramos fotos com as lhamas e cholas, demos uma olhada na Festa de Corpus Christi, conferimos a pedra dos 12 ângulos, o museu de Arte Pré-Colombino, espionamos os artesanatos e encerramos o dia no museu Inka. Aí…só foi possível comprar algo para jantar, um tubo de oxigênio e se atirar semi-morto pelo quarto do hotel.

E, com a noite…Os Japas começaram a passar mal! Princess teve um pouquinho de dor de cabeça (que logo passou com paracetamol) mas, o Samurai teve muita dor de cabeça e febre.

E assim acabou o primeiro dia no umbigo do mundo!

Ps.: Em Qosqo você se dá conta do que realmente é respirar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>